Quando o Mau Humor Impera...

Existem coisas que às vezes nos pegam pelas pernas e mudam completamente o dia da gente de uma hora para a outra... Quarta-feira, por exemplo: ôooo dia de merda! O mau humor imperava, guiado por uma maldita TPM prolongada (desde que parei de tomar a pílula a minha amiga mensal age como bem entende e só chega quando quer também!). Aquele dia eu estive a um centímetro do surto total e completo.
Eu tinha acabado de dar uma aula para um aluno particularmente difícil. O mau humor corria como veneno pelas minhas veias. Eu ainda tinha mais uma aula pela frente, além de vários textos para escrever e projetos para avaliar. No pé em que as coisas estavam corria o risco de eu matar um.
Decidi sair da escola sem rumo até o horário da minha próxima aula. Quase fiz um strike de pedreiros no ponto de ônibus perto de onde eu estaciono o carro. Quem manda eles se espalharem de frente para o meu carro! Justo naquele dia! Pois bem... Saí sem rumo pela Mario Werneck, e quando me dei por mim eu já estava dentro do Verdemar.
Parei uns minutinhos ali dentro do carro. Fiz respiração diafragmática (como isso nos acalma!!) e desci. Fui direto lá para o Café Verdemar. Sentei-me em uma mesa na parte de dentro que fica bem de frente para a porta da varanda, então senti aquele ventinho bater no meu rosto. Comecei a me sentir viva outra vez. Foi quando me lembrei que nos tempos em que eu trabalhava pelos lados da Savassi, o meu refúgio nestes momentos de crise era o Café Três Corações. Incrível como o instinto da gente nos leva para os lugares certos!
Assim que eu chegava ao Café Três Corações nesse estado de espírito, eu pedia um capuccino shake duplo com chantily e a vida voltava a ficar boa. Lembrei-me então que um dia eu tinha ido ao Café Verdemar com minha amiga Fátima e que eu tinha experimentado o capuccino gelado. Gente! Foi batata! Aquilo foi penetrando na minha alma à medida que entrava pela boca e foi me trazendo uma calma repentina que me fez agradecer por estar viva. Eu estava voltando a mim mesma. Logo peguei a minha agenda e comecei a fazer anotações sobre as coisas que eu precisava resolver nos projetos de comunicação que estou trabalhando, e assim, tomando um capuccino, a vida começou a seguir o seu rumo.
Para completar a felicidade deste corpo traído pela TPM, me dei de presente um petit gateau enorme. Overdose de chocolate! Chegou um ponto em que eu não dava mais conta de comer. Mas aquilo foi tudo de maravilhoso. Impressionante como chocolate consegue elevar os níveis de endorfina de frágeis corpos femininos à beira de seu colapso mensal!
Paguei a minha conta ao final de tudo isso, entrei no carro, voltei pra casa. Ainda tinha um tempo até a próxima aula. Fiz um acordo comigo mesma de que aquele dia eu não trabalharia mais. Só daria a aula que estava pendente e teria o restinho da noite para mim. Deitei no chão com a minha cachorra e brinquei até o momento de voltar para a escola. Dei minha aula, voltei pra casa, e dormi feliz!
Até a próxima pessoal!

Comentários

Postagens mais visitadas